Como inserir a alimentação hospitalar de maneira saborosa e saudável para sua rotina

Como inserir a alimentação hospitalar de maneira saborosa e saudável para sua rotina

Todos sabemos que quando ficamos doentes e vamos parar no hospital, damos entrada no mesmo bem fragilizados e ruins e saímos de lá muito mais fortes e certamente mais saudáveis do que antes. 

Um dos pontos que mais ajudam de forma efetiva nessa melhora diz respeito a alimentação que é oferecida nos hospitais, que é muito mais saudável do que a alimentação feita pela maioria das pessoas nos dias atuais em suas casas.

Não podemos negar que é por meio do consumo dos alimentos certos que o organismo humano é munido por nutrientes, pelas vitaminas e pelos minerais que necessita para funcionar da forma mais eficaz possível. Uma boa alimentação, além de garantir a saúde do corpo, previne que o mesmo seja acometido por doenças, como anemia, diabetes, AVC, obesidade, dentre outras diversas doenças existentes.

O que é a alimentação hospitalar

Como todos sabemos, o hospital é um local muito limpo e extremamente rígido com todos os seus processos, dado que ele lida principalmente com a vida das pessoas que estão sofrendo com doenças ou dores. Alimentação hospitalar é a comida que é oferecida nesse ambiente de cuidado e valorização da vida, tendo como objetivo proporcionar a recuperação do paciente, não permitindo que o mesmo fique desnutrido dentro do hospital. A boa e rica alimentação rica em nutrientes assegura uma boa renovação celular na pessoa que está doente.

Por que essa forma de alimentação é saudável e nutritiva?

A alimentação hospitalar visa fortalecer todo o sistema imunológico da pessoa acometida por alguma doença, por isso ela é muito mais fortificada e saudável. Como as dietas hospitalares são servidas  na maioria das vezes dentro dos hospitais, elas são montadas por um nutricionista, que cria os seus cardápios com ingredientes contendo poucos temperos.

A cozinha do hospital também entende essa necessidade, e segue as restrições impostas de maneira muito séria e rígida. Não são permitidos alimentos e refeições que não cumpram uma boa higienização e a quantidade mínima de tempero que é permitida. Os requisitos de cozimento, temperatura e transporte dos alimentos também são muito levados a sério, pois podem estar contaminados e não ajudar na melhora do paciente.

Como tornar a alimentação hospitalar saborosa?

Mesmo com os seus diversos benefícios para a saúde, a alimentação hospitalar não é um poço de delícia gastronômica. O que é necessário para o corpo, que são os nutrientes e vitaminas, nem sempre são os mais apetitosos e chamativos para o paladar.

Uma maneira de deixar a alimentação do hospital mais gostosa é variando ela durante os dias da semana e incrementar ingredientes com temperos próprios que tem um gosto mais gostoso e chamativo.

Vale também incrementar a refeição com uma fruta, a deixando com um toque agridoce muito gostoso.

Tudo também varia muito do gosto e paladar, dado que muitas pessoas preferem por si mesmas alimentos com menos sal e tempero na sua preparação.

A dica que deixamos aqui é, experimente e não desista! Logo o seu paladar vai perder o costume de pedir por muito sal e temperos (que são gostosos, mas prejudiciais para à saúde). O seu corpo os deseja só por saber que não podem ser consumidos em excesso.

Como inserir essa alimentação na rotina?

A dieta hospitalar pode ser incluída na rotina das pessoas para melhorar a sua qualidade de vida fora dos hospitais, evitando assim, que elas fiquem doentes e tenham que fazer uma visitinha por lá. 

Seguem alguns tipos de dietas hospitalares que existem: dietas de rotinas, dieta livre ou geral, dieta branda, dieta pastosa, dieta líquida-pastosa ou pastosa liquidificada, dieta líquida completa, dieta líquida restrita, dieta hipolipídica, dieta hipossódica, dieta hipoglicídica, dieta hipoprotéica, dieta HAS (Hipertensos), dieta DM (Diabéticos), dieta nefropata (Insuficiência Renal), dieta Hepatopata e dieta cardiopata.

Algumas receitas

Segue abaixo duas das receitas vencedoras do 1º concurso de culinária hospitalar da Cidade de São Paulo (2010) que podem ser incluídas na rotina das pessoas:

1° lugar Enroladinho de abobrinha

Ingredientes da massa:

2 abobrinhas médias

Sal a gosto

Ingredientes do molho: 

1 cebola

1 colher de sopa de azeite 

5 tomates italianos 

Orégano e sal a gosto

Ingredientes do recheio: 

200g de queijo branco 

2 ramos de salsinha 

3 tomates italianos

Modo de preparo da massa:

Lave as abobrinhas, fatie finamente e tempere com sal e azeite. Esquente em uma chapa e grelhe as fatias dos dois lados.

Modo de preparo do molho:

Doure a cebola no azeite e refogue os tomates por 10 minutos. Polvilhe com sal e orégano.

Modo de preparo do recheio:

Corte o queijo branco, e o tomate em cubos médios, e a salsinha bem fina. Regue com o molho. Porcione o recheio sobre as fatias de abobrinha, enrole-as e leve ao forno pré aquecido a 180°C por 5 minutos para aquecer.

Tempo de preparo 30 minutos e rende 10 porções.

2° lugar Farofa Sortida

Ingredientes:

3 kg de farinha de milho 

3 kg de farinha de mandioca

700 g de bacon

1,5 kg de lingüiça toscana

10 ovos

100g de salsa

3 dentes de alho

¼ de xícara de uvas passas

1 ½ cebola

Modo de preparo

Em uma panela com água, coloque os ovos para cozinhar. Em outra panela refogue o bacon, a lingüiça, o alho, a cebola e o sal. Após tudo bem misturado acrescente as farinhas, mexa bem e finalize com a uva passa, os ovos cozidos e a salsa picada.

Tempo de preparo 1 hora e rende 40 porções

Nelson

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *